<$BlogRSDUrl$>

terça-feira, setembro 30, 2003

Há Dias e Dias... 

Hoje é um daqueles! Com chuva e vento e maus humores e roupas molhadas. Bolas, ainda nos cheira a calor,a terra queimada, a fatos de banho e areia no corpo e já estamos a ser bombardeados com litros de goticulas húmidas e frias.
Confesso que a 1ª reacção que tive pela manhã foi: fico em casa, tenho resmas de coisas para fazer, daquelas que esperam por dias destes.
Enfim, não passou de um pensamento, porque as tarefas da manhã são sempre muitas e têm de ser partilhadas.
Por isso, cá estou no meu bunker fechada, com aquela vontade imensa de nada fazer, à espera que o sol regresse, um dia destes!


domingo, setembro 28, 2003

AVÓ - a minha AVÓ 

Vão fazer 9 anos que partistes, continuas viva nas minhas memórias.
Dizem que o tempo apaga algumas memórias, estas nunca! Trago-te adormecida, evoco a tua presença naqueles momentos importantes e marcantes da minha vida.

Não vou esquecer nunca uma infância tão feliz, as confidências de adolescente que tão atentamente escutavas e para as quais tinhas sempre uma palavra compreensiva e carinhosa, os cuidados diários que sempre tivestes, desde o meu nascimento até à tua partida.

Embora te apercebesses como tinha crescido, continuastes a tratar-me como a tua menina, oferecendo-me sempre aquele colo protector que todos precisamos em vários momentos da vida.

A nossa cumplicidade era tão forte que não passava despercebida.
Creio que a Mãe tinha uma pontinha de ciúmes, nunca nada mencionou, mas o modo como se apegava à Mana era quase sinal de que não a queria "perder" como me tinha perdido para ti.

Ninguém ocupa o lugar de ninguém, sempre amei a Mãe, com um amor muito forte, mas contigo era diferente, talvez a explicação não fosse terrena.

Nunca esquecerei o teu rosto, nem aqueles pormenores todos que me eram tão familiares no quotidiano: a cor do teu batom, o cheiro a pó de arroz, aquele vestido preto que te fazia parecer uma boneca, as malinhas sempre a condizer com a toilette, e as delicias da cozinha (o arroz doce, as bolachas de nata, o doce de ginja, as filhozes, o bolo inglês) e uma eternidade de outras lembranças inapagáveis.

Contigo partiu um pedaço da minha alma, até hoje não consigo definir o que me falta, mas sinto a diferença a cada dia.

Lutei pela reconquista da felicidade, por mim e por ti. Sabia que onde quer que estivesses estavas a seguir os meus passos. Não te queria desiludir.

Sabes que me fazes falta, mas também sabes que estarás sempre na minha vida, por tudo o que me deste e me ensinaste.

Espero sinceramente que a M., que por sinal vai nascer no teu mês, se pareça um pouco contigo. Eras tão bonita, por dentro e por fora.

Vou guardar-te para sempre, naquele cantinho do meu coração, onde mais ninguém pode chegar.

sexta-feira, setembro 26, 2003

PRINCIPES E PRINCESAS

Que me desculpem os repúblicanos e os monárquicos (pois tb não o sou!), mas este é um assunto que exige grandes cortesias.
Eles são o que de melhor existe, eles são meus, da minha familia, dos meus amigos, do mundo em geral.

São gordinhos, magrinhos, altos, baixos, louros e morenos, choram, riem, brincam, cantam, são traquinas e meiguinhos.

O G. que é o meu princi­pe mais crescido é super curioso, adora o mundo que o rodeia, quer saber tudo, pergunta tudo, é muito voltado para o intelecto. Adora o seu grande amigo J.M., quando estão juntos a imaginação não pára, as brincadeiras, risos e discussões sucedem-se em "gritos de harmonia".

O princi­pezinho (por sinal tb) G. é um piratinha adorável, é muito mais virado para a aventura, curioso por saber onde vão acabar os degraus, o que existe para além do muro e até onde pode chegar cada pedra. Um sobressalto!
Mais pirata, ágil e de forte personalidade só o nosso adorado M. - Nhó, que já participa nas brincadeiras e actividades pese a sua tenra idade.

A princesa vem a caminho, pra variar será um(a) M. e não outro G., é cedo para a caracterizar, mas pelos movimentos parece calma, uma verdadeira donzela.

Dos outros princi­pes e princesas falarei posteriormente, tenho um enorme carinho por eles, como se fossem meus, a I., a M, o F., o M., o L., e por aí­ fora, todos lindos, adoráveis.

Blog! Cá me estou a lançar à descoberta, acho que nem percebi bem o funcionamento da coisa e já me estou a aventurar na primeira "crónica".
Sem nexo, sem conteúdo, apenas na aventura do que irá aparecer e onde.
As próximas serão mais fundamentadas, mais condimentadas, mais pensadas e imaginadas, enfim...talvez até contos de fadas!
Até à próxima, vou ver o resultado da coisa!!!

This page is powered by Blogger. Isn't yours?